Última hora

Póvoa de Varzim dá formação para responder ao aumento de procura da Camisola Poveira

12 Abril 2021
Póvoa de Varzim dá formação para responder ao aumento de procura da Camisola Poveira
Economia
0

Depois da polémica com a estilista norte-americana Tory Burch, pelo plágio da Camisola Poveira, a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim começou a vender a camisola na plataforma de e-commerce “É Bom Comprar aqui!”. A procura pela Camisola Poveira aumentou e, para a satisfazer, o município inaugurou este sábado um centro de formação para capacitar e captar mais artesões da região.
“A criação do centro interpretativo e de formação, que vai localizar-se no centro empresarial da Póvoa do Varzim, tem como objetivo capacitar mais artesões através de formações profissionais apoiadas pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). É uma forma de permitir que mais pessoas aprendam esta arte 100% manual“, explicou a adjunta do presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Rafaela Miranda.
A Camisola Poveira já tem mais de 300 encomendas para vários países do mundo: Alemanha, Brasil, Canadá, Estados Unidos da América, Israel, Noruega, entre outros. Devido à capacidade de resposta, o tempo de entrega demora entre 30 a 90 dias. A autarquia explica que os prazos de entrega são mais alargados porque têm apenas entre 15 a 20 artesões disponíveis para fabricar a tradicional Camisola Poveira – que demora, em média, 50 horas a ser produzida manualmente.
A autarquia garante que, apesar do crescente número de recomendas, “a procura não pode atrapalhar nem reverter, nunca, o processo de fabrico original. Apesar de termos muitas encomendas, o ritmo e o tempo da produção será sempre respeitado“, adianta a adjunta do presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim.
A Câmara Municipal da Póvoa de Varzim destaca que “o objetivo do projeto é respeitar a arte tradicional dos artesões e não apressar o trabalho das mesmas. Rejeitamos qualquer tipo de produção industrial, queremos que a produção artesanal seja respeitada”, contou Rafaela Miranda.
Gabriela Azevedo, responsável do departamento de Turismo da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, adiantou que depois da polémica com a estilista norte-americana, “a procura por camisolas poveiras registou um aumento brutal“, contando que “a procura por este tipo de produtos era residual” e que, talvez por isso, “existem poucas pessoas a produzir a Camisola Poveira”.
A Camisola Poveira está à venda no site “É Bom Comprar aqui!” desde o início do mês de abril e custa entre os 80 e os 100 euros, consoante o tamanho. Um preço reduzido face ao pedido pela estilista americana (695 euros). “O preço é exatamente o mesmo que era praticado há muitos anos, não houve inflação e não iríamos permitir isso“, garantiu a adjunta do presidente da autarquia poveira.
“O município só quer estabelecer a ponte entre quem sempre fez e sabe fazer a arte e quem procura, de qualquer parte do mundo, uma peça tão diferente e única como é a Camisola Poveira”, destacou Rafaela Miranda, manifestando que a receita das vendas reverte a 100% para os artesãos envolvidos no fabrico da Camisola Poveira.
Para o presidente do município poveiro, Aires Pereira, citado em comunicado pela autarquia, “a promoção da compra da Camisola Poveira é uma ode à história e herança cultural do concelho da Póvoa de Varzim e, também, uma forma de valorizar e dignificar o trabalho meritório desenvolvido pelos artesãos locais há mais de 150 anos”.